Blog

cuidados com a pele no verão - dra cássia farris

10 dicas para proteger sua pele no verão

O sol! Ah! O sol!

O brasileiro AMA tomar sol e conquistar a tão sonhada marquinha de biquíni ou sunga, mas você sabia que esse comportamento pode trazer alguns riscos para a pele e para a saúde?

Então vamos lá! O excesso de exposição solar, principalmente quando é feito SEM proteção, leva a:

  • Queimaduras solares
  • Manchas na pele
  • Acne
  • Envelhecimento cutâneo
  • Ceratoses
  • Alergias
  • Até mesmo melanoma, o câncer de pele mais grave que existe!

Temos motivo de sobra para nos protegermos do sol, não é mesmo?

Falando um pouquinho sobre o câncer de pele, existem três tipos: o carcinoma basocelular, o espinocelular e o melanoma – que, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal; porém, quando descoberto no início, tem mais de 90% de chance de cura!

Independentemente do tipo, é importante saber que, em todos eles, a exposição excessiva e sem proteção ao sol é o principal fator de risco que pode desencadear a doença e que o câncer de pele pode se manifestar como uma pinta ou mancha, acastanhada ou enegrecida; pápula ou nódulo avermelhado, cor da pele e perolado (brilhoso); ou como uma ferida que não cicatriza. Se liga nas “pintinhas” e vai conferir com seu dermato!!

Tá bom, Cássia, eu já entendi que é importante se proteger do sol… Mas o câncer é tão comum assim?

Vamos aos dados:

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca):

  • 30% de todos os tumores malignos do Brasil correspondem ao câncer da pele
  • Para o biênio 2018/2019, a estimativa é de 580 novos casos de câncer de pele não melanoma
  • O que MUDOU em relação à última estimativa do Inca (2016/2017): a doença acometerá mais homens (170) do que mulheres (80.410)
  • A BOA notícia: a estimativa de novas ocorrências de câncer de pele não melanoma diminuiu em 10 mil casos de um biênio para o outro

Como proteger a pele?

1 – Evite exposições prolongadas e repetidas ao sol

Queimaduras solares acumuladas durante a vida predispõem ao câncer de pele e ao envelhecimento. Com o passar dos anos, a pele perde a capacidade de reverter os danos provocados pelo sol e começam a surgir os sinais de envelhecimento cutâneo – manchas e rugas –, além de lesões que podem evoluir para um câncer de pele (ceratoses actínicas).

 2 – Evite se expor ao sol nos horários próximos ao meio-dia

O horário entre 10 e 16 horas tem grande incidência da radiação ultravioleta B, que é a responsável pelas queimaduras solares e câncer de pele. ATENÇÃO: procure a sombra neste período do dia e, se não puder, utilize sempre proteção solar caprichada, usando chapéus ou bonés, roupas com proteção UV e filtros solares com alto fator de proteção solar.

3 – Use sempre barracas de praia, bonés, viseiras ou chapéus

Cerca de 70% dos cânceres da pele ocorrem na face, por isso bonés, viseiras e chapéus são importantes formas de proteção solar. Não se esqueça de proteger os lábios e as orelhas, e caso utilize barracas, elas devem ser grossas, para bloquear bem a passagem do sol. Mesmo assim, use filtro solar, pois uma parcela da radiação atravessa o tecido, além da radiação que se reflete na areia e atinge você mesmo debaixo da barraca!

4 – Aplique generosamente o filtro solar, 20 a 30 minutos antes de sair ao sol

Este é o tempo necessário para a estabilização do protetor solar na pele. Faça isso de preferência em casa, sem pressa, principalmente nas crianças, que não vão querer ficar na praia esperando meia hora para entrar na água. O ideal é passar o filtro solar sem roupa, para poder lambuzar bem a pele sem se preocupar com a roupa de banho. Muitas pessoas ficam com queimaduras próximo ao biquíni ou à sunga porque evitam “sujá-los” com o filtro.

DICA: Lembre-se de reaplicar o filtro a cada duas horas ou após mergulhar, para uma proteção solar adequada.

5 – Use filtro solar com FPS 30 ou maior:

FPS = Fator de Proteção Solar. Significa que usando um filtro com FPS 30 sua pele levará 30 vezes mais tempo para ficar vermelha do que sem proteção.

6 – Peles claras e pessoas ruivas exigem melhor proteção solar

Esse tipo de pele é mais propensa ao câncer de pele e deve levar a proteção solar muito a sério, para evitar problemas no futuro. São pessoas que raramente se bronzeiam, portanto não insista em querer se bronzear. Você só vai se queimar e danificar sua pele. Lembre-se de que o mal só vai aparecer numa fase mais adiantada da vida.

7 – Mormaço também queima

Aposto que você achava que isso era papo da sua avó, né? Não se engane! Mesmo nos dias nublados, até 80% da radiação ultravioleta pode atravessar as nuvens e chegar à Terra. Portanto, use proteção solar também nestes dias, utilizando filtros solares com o mesmo FPS que usaria num dia ensolarado.

8 – Filtro solar deve ser usado diariamente

Se você se expõe ao sol diariamente, mesmo que não seja na praia, use proteção solar nas áreas expostas. Isso diminui o dano provocado pelo sol, que se acumulará continuamente durante os anos de vida.

9 – Atividade física

Na hora do exercício físico ao ar livre é extremamente necessária a aplicação do protetor solar. Procure filtros apropriados para atividades esportivas, eles são mais resistentes ao suor.

10 – Última e MAIS importante: proteção solar das crianças é responsabilidade dos pais

Proteja as crianças e estimule os adolescentes a se protegerem. Este é um hábito que deve ser formado desde cedo. Essa é a dica MAIS IMPORTANTE desse artigo, e sabe por quê? Porque cerca de 75% da exposição solar acumulada durante a vida ocorre até os 20 anos de idade, e a proteção solar adequada durante os primeiros 18 anos de vida pode diminuir em até 85% a chance de se ter um câncer de pele na idade adulta.

Gostou? Ainda tem dúvidas? Venha fazer uma consulta, saber qual filtro solar é indicado para você e o que fazer em caso de queimaduras solares.

 

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email